Lua da Neve chega neste fim de semana e pode ser por isso que você está dormindo menos

‘Lua da neve’ (ou Snow Moon, em inglês) está chegando neste fim de semana, e pode ser por isso que você está dormindo menos. Nas noites que antecederam a Lua Cheia, os participantes do estudo dormiram de 46 a 58 minutos a menos do que durante as outras noites do ciclo lunar.

Com a Lua da Neve ganhando força cada vez maior nesta semana e brilhando sobre as camadas de gelo no hemisfério norte, as paisagens noturnas em partes da região evocaram a própria superfície lunar.

Mas com a chamada Lua da Neve se aproximando, aquele “brilho do meio-dia” pode ter mantido você acordado, de acordo com um estudo publicado recentemente liderado por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Washington.

Eles descobriram que nas noites anteriores à lua cheia, os participantes do estudo dormiam de 46 a 58 minutos menos do que durante os ciclos lunares anteriores e posteriores.

Veja também:

Eles reconheceram que as descobertas contrariam as análises anteriores do sono envolvendo o satélite marcado da Terra, que ao longo dos anos tem sido objeto de inúmeros estudos sobre como pode afetar o comportamento humano.

Mas os impactos do sono que a equipe liderada pela UW identificou e relatou no mês passado na revista Science Advances foram evidentes “mesmo em noites nubladas”, disse Leandro Casiraghi, o principal autor do estudo, na quinta-feira (25).

E ele disse que esses problemas de sono provavelmente têm algo a ver com nosso passado profundo e escuro, que talvez não fosse tão escuro quando a lua estava dominando o céu noturno.

O que eles descobriram

Os pesquisadores da UW, da Universidade Nacional de Quilmes na Argentina e da Universidade de Yale usaram monitores de pulso para rastrear os hábitos de sono de 98 residentes da comunidade Roba/Qom da Argentina, alguns que viviam com eletricidade e outros sem, por um período de três anos.

Da mesma forma, por um período de três anos, eles monitoraram os padrões de sono de 464 estudantes universitários da área de Seattle, todos presumivelmente com acesso a luz elétrica.

Os resultados foram surpreendentes, eles disseram.

“Inesperadamente, as mudanças na duração do sono e no início durante o ciclo lunar se assemelharam às do povo Toba/Qom”, escreveram os autores.

Os efeitos estavam claramente relacionados a quão cedo a lua surgiu, eles disseram, o que determinou quão cedo ela alcançaria o pico de iluminação e quanto luar estaria disponível nas horas após o sol se por. A luz adicional teoricamente estimularia as pessoas a ficarem acordadas até mais tarde.

Veja também:

A lua surge mais tarde a cada dia, conforme se aproxima do grande momento. Por exemplo, nos EUA, na quinta-feira ela surgiu pouco antes das 16h e na sexta-feira, vai surgir às 17h08, de modo que os efeitos de pico do sono ocorreram alguns dias antes da lua cheia e diminuíram quando a lua nasceu mais tarde.

A Lua da Neve, assim chamada porque, sim, fevereiro tende a ser um mês de neve na Zona Temperada do Norte, não aparecerá até depois das 6 da noite de sexta-feira e atingirá a plenitude às 3:17 am de lá, no sábado (27). O estudo concluiu que, quando a lua atinge 100%, os efeitos do sono diminuem, junto com a lua.

“Juntos, esses resultados sugerem fortemente que o sono humano está sincronizado com as fases lunares, independentemente da origem étnica e sociocultural e do nível de urbanização”, escreveram eles.

Mas por que alguém que poderia acender as luzes com um simples toque de um botão estaria sujeito às fases da lua?

Sobre aquele passado profundo e escuro

O melhor palpite é que tudo tem a ver com o “efeito ancestral das noites de luar”, concluíram.

“Nossos dados parecem mostrar que os humanos – em uma variedade de ambientes – são mais ativos e dormem menos quando o luar está disponível durante as primeiras horas da noite. Essa descoberta, por sua vez, sugere que o efeito da luz elétrica em humanos modernos pode ter tocado em um papel regulador ancestral do luar no sono.”

Eles também postularam que pode ter algo a ver com a gravidade. Enquanto a diferença na força gravitacional que impulsiona a maré das luas nova e cheia é “indistinguível”, a lua cheia faz sua força à noite.

“Isso levanta a possibilidade de que a gravidade da lua possa ter um efeito específico sobre o sono durante o dia”, disseram os autores do estudo.

Em qualquer caso, eles escreveram, “é difícil conceber que a sincronização conservada entre o sono e o ciclo lunar que relatamos ocorreu por acaso.”

Fonte: The Philadelphia Inquirer

Fique por dentro das novidades na nossa página no Facebook ou no nosso site www.signo.net.br






Back to top