O que a Lua Cheia em Virgem pode nos ensinar

A Lua Cheia em Virgem em 18 de março de 2022 é um momento de cura. É um momento de sentar com nossa dor, trauma e mágoa e nos dar amor e compaixão. Virgem é o signo da deusa, perfeita para si mesma. Este arquétipo carrega muitos dons, mas o mais importante é o poder de curar.

Como a Lua Cheia em Virgem nos inspira a curar?

Esta Lua Cheia chega até nós depois de uma longa jornada que durou os últimos dois anos. Pode trazer à tona muitas emoções que não foram processadas no momento em que foram sentidas pela primeira vez. Agora é a oportunidade de se sentar com esses sentimentos e saber que você não precisa ser perfeito para ser amado. A vida não precisa ser perfeita e, o mais importante, você não precisa tomar a decisão perfeita todas as vezes. Você também não precisa se arrepender de decisões passadas ou se fazer sofrer por causa de coisas que você não poderia saber.

Através da cura, esta Lua também nos oferece perdão. O perdão é uma das formas mais difíceis de libertação, especialmente quando precisamos perdoar a nós mesmos. É essencial, porém, no caminho para manifestar nossas visões mais elevadas. Quando guardamos raiva ou ressentimento em relação a nós mesmos ou aos outros, bloqueamos nossa capacidade de ver claramente e atrair a energia de que precisamos. Ele nos mantém em um padrão vibratório mais baixo e tira nossa capacidade de sentir e expressar gratidão junto com amor e compaixão. Enquanto você viaja por esta Lua cheia, pergunte a si mesmo o que você precisa perdoar. Você precisa se perdoar por alguma coisa ou você precisa perdoar outra pessoa? Saiba que perdoar outra pessoa não significa que você tem que deixar essa pessoa voltar à sua vida. Perdoamos as outras pessoas por nós mesmos, não por elas. O perdão é sobre você e sua vibração – mais ninguém.

Também é importante ver como você precisa se perdoar. O lado baixo de Virgem gira em torno da perfeição. Quando nos alinhamos com o lado da sombra, esperamos saber todas as respostas. Colocamos muito poder em nossas próprias mãos e esquecemos que estamos co-criando a realidade com o Universo. Embora estejamos no controle de muitas coisas, não estamos no controle de tudo. Podem acontecer eventos que simplesmente fazem parte de nossa vida, e não há nada que possamos fazer — ou não fazer — para evitá-los. Da mesma forma, há coisas que também não podemos forçar a acontecer. Há um equilíbrio sutil entre o quanto podemos controlar conscientemente e o quanto precisamos aceitar como destino. Embora sempre haja livre arbítrio, também há uma parte de nós que está conectada à consciência superior do Universo e nos levará subconscientemente a situações para que possamos aprender as lições de que precisamos nesta vida.

Tudo isso significa que haverá momentos em que sentiremos que cometemos erros, ou não fizemos o suficiente, ou tomamos a decisão errada, ou não confiamos em nossa intuição. A verdade, porém, é que estamos sempre alinhados com o caminho destinado a nós, mesmo que às vezes não gostemos. Quando tentamos controlar o resultado de cada situação que a vida apresenta, sem dúvida falhamos às vezes. Porque a vida não é para ser controlada. É para ser vivido. Não é para ser perfeito ou seguir algum cronograma que se adeque aos nossos esforços. É confuso, caótico e bonito. Ele nos mostra nossas maiores forças em nossos momentos mais sombrios e nos dá nossos maiores presentes das formas mais inesperadas.

Durante esta Lua cheia, observe onde você tem esperado demais de si mesmo. Onde você esperava ser perfeito e saber tudo? Onde você se esqueceu de confiar na vida? Onde você colocou muito poder em suas próprias mãos e, portanto, se culpou quando as coisas não aconteceram do seu jeito? À medida que você trabalha para liberar o perfeccionismo nesta Lua cheia, você desbloqueia o caminho para o verdadeiro amor próprio. Pergunte a si mesmo onde você precisa perdoar para parar de vibrar de raiva, ressentimento ou culpa. Que cura é necessária para você mudar sua vibração?

Virgem nos lembra que quando vivemos em uma vibração de amor próprio e auto-aceitação, nos alinhamos com nossos dons mais verdadeiros. Podemos reconhecer as partes de nós mesmos que nos tornam únicos e podemos dar nossas ofertas genuínas ao mundo. Virgem nos ensina que cada um de nós está aqui para dar nossos talentos de alguma forma ao coletivo. A fim de dar plenamente esses dons, devemos primeiro reconhecê-los. E para reconhecê-los, devemos primeiro curar. Quando esperamos ser perfeitos, procrastinamos, nos tornamos indecisos e nos reprimimos. Esquecemos o nosso brilho e insistimos na perfeição, que nunca pode ser obtida.

Ao aceitar nossas imperfeições, nos permitimos aparecer plenamente no mundo e aparecer para os outros. Sim, podemos cometer erros e tomar decisões erradas, e podemos falhar muitas vezes antes de sermos bem-sucedidos. Erros fazem parte do processo, e o processo é diferente para todos. Cada um de nós está vivendo seu próprio caminho cármico, e esse caminho inclui muitas reviravoltas. Recebemos lições quando precisamos delas, mágoas para nos fortalecer e momentos de gratidão para nos motivar. Alguns deste caminho podemos controlar. Parte disso é simplesmente a jornada de nossa energia nesta vida, que se desenvolve por conta própria, não importa o que façamos conscientemente.

Aproveite a energia desta Lua cheia para se perdoar, confiar em sua vida e saber que você está sempre co-criando sua realidade com o Universo. Você chama alguns dos tiros, mas não chama todos eles. Cada erro é uma lição e cada dificuldade uma oportunidade de evoluir sua energia. Libere a necessidade de ser perfeito, juntamente com a necessidade de saber todas as respostas. Cure a parte de você que se preocupa excessivamente com o futuro porque sente que pode controlar o resultado. Em vez disso, encontre um equilíbrio entre agir quando necessário e confiar no fluxo de sua vida.

Fonte: Yoga Journal

Fique por dentro das novidades pela nossa página no Facebook ou pelo nosso perfil no Instagram.






Back to top